FAPs e CNPq definem financiamento conjunto de projetos de INCTs

Compartilhe

A definição de cofinanciamento para as propostas de Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT) apresentadas no âmbito da Chamada INCT - MCTI/CNPq/CAPES/FAPs nº 16/2014 foi objeto de deliberação de reunião do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) na sede do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em Brasília, no dia 5 de outubro de 2016.

O encontro contou com a presença do Presidente substituto do CNPq, Marcelo Morales e da Diretora de Cooperação Institucional do CNPq, Glenda Mezarobba; além da Vice-Presidente do Confap e Presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás, Maria Zaira; e representantes das FAPs do Distrito Federal, Piauí, Tocantins, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Maranhão, Rondônia, Rio de Janeiro, Sergipe, Ceará, Paraná, Pernambuco e Minas Gerais.

Neste primeiro momento, serão financiados, por parcerias entre os entes federais (Capes, CNPq/MCTIC e Finep/FNDCT) e estaduais, 100 projetos, resultantes da presente fase de negociação (realizada a partir das 252 propostas divulgadas em maio deste ano). As demais propostas recomendadas no mérito que não foram contempladas entre os 100 projetos selecionados para financiamento poderão solicitar um selo de reconhecimento e manter o status de INCT.

A lista dos 100 projetos selecionados será, ainda, submetida à aprovação da Diretoria Executiva do CNPq e do Comitê de Coordenação dos INCTs (Coordenado pela Secretaria Executiva do MCTIC). A previsão é a de que a lista final seja divulgada na segunda quinzena de novembro deste ano.

Minas Gerais

Entre as 100 primeiras propostas classificadas estão 10 de Minas Gerais. Essas serão financiadas no modelo de um para um, entre FAPEMIG e entes federais. De acordo com o presidente da FAPEMIG, Evaldo Ferreira Vilela, as demais serão negociadas caso a caso, dentro das possibilidades do sistema. “Algo que estamos avaliando, por exemplo, é solicitar aos demais INCTs que apresentem outra fonte de financiamento, como empresa ou organismo internacional”, comenta.

Novas definições serão divulgadas aqui, no portal da FAPEMIG.



Com informações da Coordenação de Comunicação Social do CNPq