FAPEMIG lança chamada para organização de eventos científicos

Compartilhe

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG) lança hoje (1) sua Chamada 12/2016, para Organização de Eventos de caráter científico. A Chamada é uma novidade. Até então, as solicitações para apoio a essa modalidade eram feitas em fluxo contínuo, ou seja, durante todo o ano. Essa mudança tem entre seus objetivos proporcionar um planejamento orçamentário melhor para as Câmaras de Assessoramento, que conhecerão o total de projetos submetidos e, com isso, poderão adequar a distribuição de recursos.

Os pesquisadores devem ficar atentos às datas. A Chamada estabelece três entradas para as propostas, cada uma com um período de submissão. A primeira entrada compreende eventos realizados entre 1/4/2017 e 31/7/2017 e o período de submissão vai de 1º de dezembro de 2016 a 1º de fevereiro de 2017. A segunda entrada, para eventos realizados entre 1/8/2017 e 31/10/17, tem período de submissão de 2 de fevereiro a 15 de maio de 2017. E a terceira entrada, para eventos entre 1/11/2017 e 31/3/2018, receberá propostas entre 16 de maio e 15 de agosto de 2017. Cada proponente só pode ser responsável por uma proposta, por entrada.

Os documentos exigidos e os itens financiáveis podem ser conferidos tanto na Chamada, disponível aqui, quanto no Manual da FAPEMIG (clique aqui para acessar). Estão previstos recursos de R$1,96 milhão para financiamento das propostas aprovadas, sendo R$560 mil para a primeira entrada, R$840 mil para a segunda e R$560 mil para a terceira. As propostas submetidas em cada entrada serão analisadas em conjunto – a Câmara de Assessoramento ranqueará as propostas, sendo que as melhores classificadas terão prioridade para contratação.

Dúvidas podem ser enviadas para a Central de Informações: ci@fapemig.br.

Documentação
A modalidade Apoio a Organização de Eventos de caráter científico é tradicional na FAPEMIG. Em 2015, 200 propostas foram apoiadas, o que corresponde a um investimento de cerca de R$ 2,07 milhões.

Nos últimos anos, uma parcela das propostas foi inabilitada pelo corpo técnico da FAPEMIG por falta de documentação. As causas mais comuns foram: falta de contrapartida da instituição assinada pelo dirigente máximo; falta de vínculo do solicitante com a instituição proponente; e falta de orçamento pro forma para os serviços solicitados. A dica é ficar atento a esses e aos outros documentos exigidos, pois não será permitido o acréscimo de informações após a submissão da proposta – e propostas incompletas são, automaticamente, inabilitadas, como previsto no edital.

 

Vanessa Fagundes