FAPEMIG contribui para aquisição de microscópio confocal de última geração

Compartilhe

 

Foto: Foca Lisboa

 

 

O fazer científico exige dos pesquisadores um esforço que vai além da rotina em laboratórios propriamente dita. É importante buscar parcerias continuamente e ter disposição para atuar em rede, valorizando a formação de novos pesquisadores. Esses fatores foram fundamentais para a inauguração do microscópio confocal de última geração que foi instalado no Centro de Biologia Gastrointestinal do Departamento de Morfologia do Instituto de Ciências Biológicas (ICB), no último dia 16, na Universidade Federal de Minas Gerais.

O equipamento – que foi adquirido também com recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG) – multiplica as possibilidades de aquisição e análise de imagens, além de ampliar a capacidade de visualização de fenômenos que, por serem muito rápidos, são perdidos na microscopia confocal convencional.

O Laboratório é fruto de parceria estabelecida pelo professor Gustavo Menezes, que coordena o laboratório. A instalação do equipamento inaugura o funcionamento do primeiro Nikon Center of Excellence (Nikon CofE) no país e o segundo no hemisfério Sul (o primeiro funciona na Argentina). “Há um aspecto essencial na inauguração desse equipamento relativo ao acesso de outros pesquisadores a essa tecnologia. Não estamos propondo simplesmente aumentar a qualidade das análises de imagens, mas possibilitar que diversos pprofissionais aprendam a operar o equipamento e o utilizem de maneira gratuita e orientada”, acrescenta Menezes.

De acordo com o pesquisador, o novo microscópio usa sete lasers para fazer varredura de indefinidos comprimentos de ondas, e uma gama muito maior de canais para obtenção de imagens de diferentes tecidos, moléculas e células, sendo capaz de fazer varredura espectral em até 32 canais simultaneamente, enquanto os outros têm no máximo quatro. “O módulo de leitura do equipamento faz 400 imagens por minuto, comparadas às 60 imagens por minuto obtidas pelos confocais convencionais. Também destacamos que o Centro da UFMG é o único adaptado para fazer ensaios com animais vivos e, por estar ao lado do laboratório, possibilita que menos animais sejam usados nos experimentos”, acrescenta Menezes.

O presidente da FAPEMIG, Evaldo Vilela, esteve no evento de inauguração do equipamento e ficou surpreso com a quantidade de jovens na plateia. “Sabemos que faltam equipamentos de última geração para a formação dos estudantes brasileiros e, neste caso, a parceria UFMG/FAPEMIG/CNPq e NIKON está suprindo uma deficiência nacional em Ciência e tecnologia e Pesquisa e Desenvolvimento”, afirma Vilela.

 

Outras informações sobre o equipamento e o Centro de Biologia Gastrointestinal podem ser acessadas neste portal.