Trilha Mineira da Inovação é lançada em parceria com instituições do Estado

Compartilhe

Um ambiente virtual para conexão direta entre empreendedores, pesquisadores, empresas, instituições e governo. Essa proposta da Trilha Mineira da Inovação (TMI) lançada hoje pela manhã dentro do espaço do Seed, em Belo Horizonte. A plataforma é uma parceria entre nove instituições do Estado que buscam, juntas, contribuir para que empresas nascentes possam alcançar o sucesso do modo mais coordenado encontrando informações e orientações diversas.

Pesquisa básica, pesquisa aplicada ou tecnologia, ideia de negócio ou protótipo, produção e mercado. Em qualquer estágio do negócio é possível encontrar editais, concursos, linhas de crédito e apoio a pesquisa. Dentro da plataforma, o empreendedor define qual dos estágios está sua ideia e que tipo de ajuda precisa. O TMI também terá uma área voltada à propriedade intelectual, treinamento, prestação de serviços.

Para o subscretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Leonardo Dias, o TMI vai se transformar e crescer como um espaço aberto para que o empreendedor possa encontrar ajuda. “Essa é primeira versão do projeto e estamos sempre abertos a sugestões. Reunimos inicialmente nove instituições, mas o objetivo é que mais atores façam parte dessa trilha”, completa Leonardo Dias.

Para Marco Aurélio Crocco, presidente do BDMG, “cabe a todos os agentes criar a facilidade para que esse diálogo produza o conhecimento e, assim, possa gerar startups de sucesso”. Segundo o professor Evaldo Vilela, presidente da Fundação de Amparo a Pesquisa de Minas Gerais (FAPEMIG), parceiro do projeto, é preciso ajudar os jovens e incentivar as ideias inovadoras. “Os empreendedores, geralmente jovens, não conhecem bem as dificuldades que vão encontrar pelo caminho. Eles precisam olhar para fora da faculdade e conseguir apoio. A Trilha não tem receita pronta e sim atores que podem trocar informações, dar conselhos e mostrar oportunidades”, completa Evaldo Vilela.

Wellington Teixeira, representante da Fiemg também participou do lançamento. Para ele, precisamos criar uma linha de montagem de empresas exponenciais e o desafio é transformar a TMI em uma estrada de via rápida. Esse também foi o pensamento do gerente de Inovação e Sustentabilidade do Sebrae-MG, Anízio Dutra Vianna. Ele ressaltou que hoje já são 28 comunidades de startups espalhadas pelo Estado e mais de 200 núcleos de inovação. “A Trilha Mineira pode encurtar esse caminho. Fazer a trilha é buscar conhecimento e conexão para transformar cada vez mais o nosso estado”, finaliza Anízio.

 Instituições participantes:

 O projeto é um esforço conjunto da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes); do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (FAPEMIG); da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg); do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais (Sebrae MG); da Rede Mineira de Inovação (RMI); da Rede Mineira de Propriedade Intelectual (RMPI); da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) e da Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior de Minas Gerais (INDI).

 

Para saber mais clique em: www.simi.org.br/trilhamineiradainovacao.