A hora e a vez da bebida fitness

Compartilhe

A utilização de recursos que aumentam a capacidade física do atleta, sobretudo os de natureza nutricional, tem crescido muito entre os praticantes de atividades físicas. Um dos produtos mais utilizados e que tem sido explorado ao longo dos últimos anos, sem muito parâmetros científicos, é a bebida energética. Adoçada ou na versão zero açúcar, essa bebida apresenta, em sua composição, substâncias como a cafeína e a taurina, que têm sido relacionadas com a melhora do desempenho físico ou neurológico dos esportistas.

Sendo assim, pela facilidade em encontrar o produto e pelo aumento da sua utilização no mercado fitness, o pesquisador Hamilton Henrique Teixeira dos Reis, da Universidade Federal de Viçosa (UFV), analisou os impactos causados pela suplementação com bebidas energéticas sem açúcar, levando em conta variáveis psicofisiológicas, aplicadas ao exercício físico.

Para isto fez um comparativo entre a bebida com açúcar, a sem açúcar e uma substância placebo sem cafeína. O resultado foi que, além de melhorar o desempenho dos atletas, ingerir a bebida energética sem adição de açúcar fornece uma melhor qualidade para o plano dietético, pois propicia um menor aporte calórico extremamente importante para quem deseja emagrecer.

Ainda, de acordo com Reis, outros dados interessantes foram observados e que são passíveis de estudos futuros. Por exemplo, o estudo verificou uma tendência de aumento da pressão arterial sistólica nos indivíduos quando ingeriram a bebida energética convencional (com e sem açúcar), quando comparada ao placebo. “São necessários mais estudos para confirmar este comportamento. Neste momento nosso estudo sugere uma maior atenção do consumo destas bebidas para portadores de hipertensão arterial, devendo ser supervisionados por médicos e nutricionistas. ”, explica.

 

Tatiana Nepomuceno