FAPEMIG realiza IV Encontro das Câmaras de Assessoramento

Compartilhe

Foi realizado nesta quarta-feira o IV Encontro Anual das Câmaras de Assessoramento da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (FAPEMIG). O evento teve como objetivo, além da apresentação dos novos membros das Câmaras, atualizar sobre a situação da instituição no contexto político-sócio-econômico atual, suas estratégias, frentes de atuação e é claro, discutir Ciência.

O evento realizado no auditório da FAPEMIG foi aberto pelo presidente da instituição Prof. Evaldo Vilela. Ele reforçou sobre a importância da FAPEMIG na realização e promoção da Ciência em benefício da sociedade. O professor lembrou que Ciência, desde à pesquisa básica, move a inovação, o mundo e acrescenta o conhecimento. Em sua explanação, falou do Quadrante de Pasteur e Thomas Edison. “Este último, com cerca de quatro mil patentes, pegou o conhecimento e o aplicou em benefício da sociedade. Tanto que fundou o GE (General Electric), uma das maiores empresas do mundo. Já o francês Pasteur criou uma nova ciência, a microbiologia”, citou prof. Evaldo.

O presidente da FAPEMIG também salientou sobre as dificuldades que a instituição vem passando, principalmente, pela crise vivida não apenas pelo estado de Minas Gerais especificamente, como de todo o Brasil. Para prof. Evaldo, não há como uma instituição como a FAPEMIG, que trabalha com recursos públicos, não sentir pelo momento atual do País. “Nossa maior dificuldade tem sido trabalhar sem o fluxo. No entanto, acredito que a crise também é a transformação. Temos que superar os momentos difíceis para ir para frente”, reforçou o prof. Evaldo que lembrou da China, uma nação que estudou Ciência por 100 anos e hoje trata-se de uma comunidade que valoriza o conhecimento e avança.

Após a fala do Prof. Evaldo, os membros um a um se apresentaram e falaram de quais Câmaras pertenciam. Professores e pesquisadores de diversas partes e diferentes universidades de Minas Gerais. Como Elizabeth Fontes, da Universidade Federal de Viçosa (UFV), pertencente a Câmara de Arquitetura. Segundo ela, que é uma nova assessora, um evento como o Encontro das Câmaras é de suma importância para se reiterar sobre a instituição. “Para os novatos, é importante para orientar e para que ele entenda as políticas de Ciência que a FAPEMIG adota e deseja financiar”, observa.

No evento, o Diretor de Planejamento, Gestão e Finanças da FAPEMIG, Alexsander Rocha falou sobre a “Situação Financeira da FAPEMIG: como funciona e perspectivas”. Ele ressaltou como o agravamento da crise no Estado impactou no fluxo de pagamentos mensais da instituição. Após sua apresentação, a Procuradora da FAPEMIG, Regina de Almeida Mattos, esclareceu pontos sobre o Marco Regulatório para CT&I, principalmente relacionados aos temas: Desenvolvimento Institucional, Instrumentos Jurídicos, Fundações de Apoio, Bolsas para Fundação de Apoio, Bolsas da FAPEMIG e Novo Distribuição de Recurso da Instituição.

As apresentações continuaram no encontro, com a Palestra Magna do Prof: Clélio Campolina, sobre “CT&I e Desenvolvimento. À tarde, foi a vez do diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da FAPEMIG Paulo Beirão apresentar o tema. “A difícil, mas necessária arte de julgar projetos”. Outros temas ministrados foram: “Everest. Atual e Projetos de Mudança”; Projeto de Modernização da FAPEMIG”; “Ciência para a sociedade–projetos e resultados da FAPEMIG 2017”; e “Prestação de Contas da FAPEMIG”. Após as explanações foi aberto o espaço para perguntas dos membros das Câmaras de Assessoramento.

 

 

 

Téo Scalioni