Missão ao Reino Unido deve ampliar oportunidades para pesquisadores brasileiros

Compartilhe

Membros do CONFAP (Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa) estiveram em missão internacional na Inglaterra, entre os dias 1 e 5 de junho.  O presidente Sergio Gargioni, a vice-presidente, Maria Zaíra Turchi, e o coordenador da Área Internacional, Mario Neto Borges, participaram da conferência Going Global 2015 e de uma série de reuniões relacionadas ao Fundo Newton. Também acompanharam a missão o coordenador geral de Planejamento e Gestão da Rede Federal, Nilton Nélio Cometti, a diretora de Relações Institucionais do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), Glenda Lorena Mezarobba e diretor de Educação e Sociedade do Conselho Britânico, Claudio Anjos.

No maior evento de ensino superior do planeta, o Going Global 2015, o CONFAP participou de uma mesa-redonda sobre os sistemas de educação superior em nove países: Índia, China, Nigéria, Rússia, Brasil, Indonésia, Paquistão, Estados Unidos e Reino Unido. Juntos, esses países possuem mais da metade do número de matrículas em universidades do mundo. Os representantes de agências de fomento e institutos de educação falaram sobre os recursos, desafios e estratégias para reformar e desenvolver seus sistemas acadêmicos.

Em outra sessão, cerca de 50 pessoas de países tão diversos quando Egito, Colômbia, Turquia e Chile fizeram uma avaliação das parcerias no âmbito do Fundo Newton, iniciativa do governo britânico que financia pesquisas em países emergentes a fim de promover o desenvolvimento econômico e bem-estar social. “Chamou atenção da audiência o sucesso do CONFAP, citado como o Conselho que melhor implementou o Fundo Newton”, disse Gargioni.

Na quarta-feira, a diretoria do CONFAP visitou o embaixador brasileiro em Londres, Roberto Jaguaribe, para fazer um balanço das atividades do Fundo Newton e do Ciência sem Fronteiras, além de estratégias para ampliar a cooperação. O embaixador tem afinidade com a área de CTI,
é formado em Engenharia Elétrica e foi presidente do INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial). “Pedimos para que ele acompanhe o Fundo Newton e defenda sua continuidade”, resumiu o presidente do CONFAP.

No mesmo dia 3, a delegação brasileira esteve com representantes do Conselho Britânico, um dos responsáveis pela gestão do Fundo Newton no Brasil, em que foram feitas apresentações sobre o NARIC (National Recognition Information Centre) e o QAA (Quality Assurance Agency for Higher Education). Também discutiram quais outros programas, além do Researcher Links e o Researcher Connect, podem ser implementados no Brasil. Cogita-se lançar um programa na área de inovação e uma proposta para apoio compartilhado aos programas de doutorado sanduíche das FAPs, segundo o presidente.

Já na quinta-feira, o encontro foi com representantes das UK Academies, para revisar detalhes da chamada que pretende atrair pesquisadores britânicos para o Brasil, nos mesmos moldes  da chamada lançada no ano passado com o CONFAP. Naquela oportunidade, 30 pesquisadores brasileiros foram selecionados para desenvolverem projetos, nas modalidades de Mobilidade e Fellowship, que permitam fortalecer a capacidade de pesquisa de seu grupo por meio de treinamento e colaboração com parceiro no Reino Unido.

Ainda no dia 4, o grupo seguiu para a cidade de Swindon, sede dos Research Councils UK (RCUK), onde foram realizados encontros com membros do Medical Research Council (MRC), Biotechnology and Biological Sciences Research Council (BBSRC) e oEconomics and Social Science Research Council (ESRC) para tratar das chamadas conjuntas em aberto. Também houve encontro com o Natural Environment Research Council (NERC) e o Arts & Humanities Research Council (AHRC) para avaliar possibilidades de parceria. Ao final da tarde, o chefe internacional do RCUK coordenou a reunião final do CONFAP, CNPq e os RCs presentes sobre alternativas que possam ampliar o leque de parcerias além do Programa Fundo Newton.

No último dia da missão, a delegação visitou a Universities United Kingdom (UUK), organização representativa das universidades do Reino Unido responsável por analisar as candidaturas do programa Ciência sem Fronteiras. Nesta oportunidade foi solicitado às universidades presentes que divulguem as chamadas já abertas.

Link:  http://confap.org.br/news/newtonfund.

“Considero que a missão foi extremamente proveitosa. Terá resultados para curto, médio e longo prazos com parceiros estratégicos no Reino Unido. As oportunidades podem ampliar o número de FAPs participantes das atividades internacionais e envolver as FAPs recém criadas”, resumiu Mario Neto Borges.

Fonte: Assessoria do CONFAP