Grand Challenges Explorations anuncia projetos aprovados na 14ª rodada

Compartilhe

Zilma Reis é a única brasileira contemplada pelo programa, que tem o apoio da Fapemig.

 

O Grand Challenges Explorations é uma iniciativa que visa estimular soluções inovadoras e não convencionais em saúde global e desenvolvimento. Nesta 14ª rodada, a única brasileira selecionada foi a Dra. Zilma Reis, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). O projeto pretende criar um aparelho portátil, simples e de baixo custo que utilizará luz de LED para medir a espessura da epiderme e a concentração de queratina na pele do recém-nascido “Com esse processo não-invasivo, esperamos detectar a idade do bebê de maneira mais precisa que os métodos convencionais”, afirma Zilma.

 

Atualmente, são utilizadas duas formas de medir a idade gestacional: via ultrassom ou por meio de um teste clínico ao nascimento. Segundo Zilma, além do ultrassom ser um exame que pode não ser acessível a todas as mães durante o pré-natal, ele ainda possui um erro de até 3 semanas que pode ser prejudicial para a saúde do bebê “A correta datação da gestação no nascimento é o principal marcador de prognóstico para saúde e sobrevida do recém-nascido”, comenta a pesquisadora.  Ao final de um ano e meio, a cientista terá um protótipo produzido em impressora 3D para testar os benefícios do novo aparelho e compará-lo com as técnicas já existentes.

 

Desde sua primeira edição, em 2008, o Grand Challenges Explorations já selecionou 4 projetos mineiros. O primeiro foi o engenheiro mecânico da UFMG, Antônio Ávila. Em 2009, ele criou uma fossa biodegradável que se transforma em fertilizante para o solo quando está cheia. Em 2013, o também engenheiro mecânico Ricardo Capúcio, da Universidade Federal de Viçosa (UFV), usou os 100 mil dólares para produzir uma máquina leve, fácil de usar e específica para mulheres agricultoras que é capaz de plantar até duas culturas ao mesmo tempo. Em 2014, o geógrafo e educador Bernardo Oliveira, também da UFMG, foi um dos 12 financiados pelo primeiro Grand Challenges criado especificamente para cientistas brasileiros. Lançado em parceria com o Ministério da Saúde e o Conselho Nacional de Pesquisa (CNPq), o Grandes Desafios Brasil: Prevenção e Manejo de Partos Prematuros buscou soluções inovadoras para entender as causas dos nascimentos prematuros e tratar suas consequências. Oliveira planejou e lançou em abril deste ano uma exposição itinerante e interativa para valorizar o parto normal e reduzir o número de cesáreas desnecessárias.

 

Nesta 14ª foram cerca de 1.800 inscritos e deste, um total de 52 projetos aprovados de 19 países vão receber 100 mil dólares, e outros 5 foram escolhidos para receber os recursos extras. O investimento na pesquisa da Dra. Zilma terá contrapartida da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG). A próxima rodada do programa deve ser aberta em setembro. Os candidatos aos desafios podem ter qualquer nível de experiência, em qualquer área do conhecimento e ser de qualquer organização, incluindo instituições de ensino e pesquisa, universidades, laboratórios do governo, ONGs e companhias que visem ao lucro. No Brasil, o programa é implementado em parceria com as Fundações de Amparo à Pesquisa (FAPs) de 17 estados, inclusive da FAPEMIG. Elas oferecem financiamento adicional para transformar ideias inovadoras em soluções para graves problemas mundiais.

 

Breve currículo da Dra. Zilma Silveira Nogueira Reis

Graduada em Medicina(1988), mestre em Medicina (1993) e Doutora em Medicina (2002) pela Universidade Federal de Minas Gerais, quando obteve bolsa de doutorado-sanduiche na Alemanha, PROBRAL 113/00 (CAPES/DAAD). Possui título de especialização em estatística pelo ICEX-UFMG (2008). Realizou Estágio Sênior Pós-Doutoral no Exterior com bolsa CAPES, no 1o semestre de 2011, na Universidade do Porto, Portugal. Atualmente é Professora do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia, do Programa de Pós-graduação em Saúde da Mulher da UFMG e Médica do Hospital das Clínicas.

 

Pesquisadora no INCT Nano Biofar desde 2008. Coordena o Centro de Informática Médica da Faculdade de Medicina da UFMG desde 2012. É coordenadora da Diretoria de Educação da Sociedade Brasileira de Informática em Saúde (SBIS), biênio 2015/2016. Já foi coordenadora do Serviço de Auditoria e Gestão da Fundação dos Empregados da Fiat. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Obstetrícia e Informática Médica, atuando principalmente nos seguintes temas: informática médica, metodologia científica e saúde da mulher.

 

Grand Challenges Explorations.

Lançado em 2008, o programa de apoio à pesquisa Grand Challenges Explorations promove a inovação na pesquisa em saúde global e já financiou mais de 1070 pesquisadores em mais de 60 países .

 

A Fundação Bill & Melinda Gates está investindo US$100 milhões para incentivar cientistas no mundo todo a expandir o fluxo de novas ideias focadas nos grandes desafios da saúde global. A iniciativa usa um processo ágil e rápido para conceder financiamento, lançando mão de um formulário de solicitação curto, de duas páginas e sem necessidade de dados preliminares. As solicitações são enviadas on-line e os candidatos ganhadores são escolhidos em aproximadamente 5 meses depois da data limite do envio.

 

Duas vezes ao ano são abertas chamadas para o apoio inicial de US$100.000. Os projetos bem sucedidos têm a oportunidade de concorrer a um financiamento adicional de continuidade de até US$1 milhão.