Pesquisador da UFMG recebe o Prêmio Georg Forster Research Award

Compartilhe

O pesquisador cardiovascular Robson Augusto Souza dos Santos, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG,) ganhou o Prêmio Georg Forster Research Award, da Fundação alemã Alexander von Humboldt (AvH). O prêmio lhe permitirá intensificar a cooperação com o Professor Michael Bader e seu grupo de pesquisa do Centro Max Delbrück de Medicina Molecular na Associação Helmholtz (MDC). Robson Santos estará no MDC em 2015 e 2016, mas a investigação vai acontecer por vários meses. O valor do prêmio é de 60 mil Euros.

A pesquisa de Robson Santos está relacionada aos peptídeos da angiotensina. Estes são parte de um sistema complexo de hormônios e enzimas conhecidas como o sistema renina-angiotensina (RAS), a qual regula o equilíbrio de água e sal do corpo, bem como a pressão arterial. As angiotensinas são hormônios que têm grande influência sobre a regulação do sistema cardiovascular e desempenham um papel no aparecimento da hipertensão e doenças cardiovasculares e renais.

Em 1988, durante uma estadia de pesquisa na clínica de Cleveland, em Cleveland, Ohio, EUA, Robson Santos descobriu um peptídeo angiotensina chamado Ang- (1-7). Ele mostrou que esta angiotensina tem uma função protetora e é um antagonista da angiotensina II, o que faz com a pressão arterial subir.

No MDC, o pesquisador vai concentrar-se na análise das funções de alamandine, outro hormônio do sistema renina-angiotensina, que ele descobriu recentemente, em conjunto com o Prof. Bader.

O pesquisador Robson Santos ganhou reputação internacional em seu campo e recebeu inúmeras homenagens. De 2010 a 2013, foi Presidente da Sociedade Interamericana de Hipertensão, foi presidente da Sociedade Brasileira de Fisiologia e da Sociedade Brasileira de Hipertensão. Ele também é membro da Academia Brasileira de Ciências e do Conselho para a pressão arterial elevada da American Heart Association (AHA).

 

O prêmio

O prêmio concedido ao pesquisador Robson Santos é uma homenagem a Georg Forster (1754-1794), um dos estudiosos alemães mais eminentes de sua época. Forster navegou ao redor do mundo e foi um escritor e revolucionário. A Fundação Alexander von Humboldt concede o prémio "em reconhecimento das realizações inteiras de um pesquisador até à data", cujas "descobertas fundamentais, novas teorias, ou insights ter tido um impacto significativo na sua própria disciplina".


Fonte: Adaptado do site da MDC