CNPq divulga resultado do julgamento da Chamada INCT - MCTI/CNPQ/CAPES/FAPS Nº 16/2014

Compartilhe


Em observância ao estabelecido na Chamada INCT - MCTI/CNPq/CAPES/FAPs nº 16/2014, e tendo sido cumpridas as etapas do processo de admissão, análise e julgamento das 345 propostas submetidas ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, o CNPq torna pública relação das 252 propostas que receberam recomendação no processo de análise de mérito técnico-científico para financiamento no âmbito da referida Chamada. A lista está organizada em ordem decrescente de classificação. Confira aqui a relação.

Todas as 345 propostas foram avaliadas por, no mínimo, três consultores ad hoc internacionais e posteriormente pelo Comitê Julgador, que esteve reunido na sede do CNPq no período de 25 a 28 de abril de 2016. De acordo com os critérios estabelecidos no item II.3 Critérios para Julgamento do Regulamento da Chamada, dois conjuntos de propostas foram analisados: as que envolvem os 115 institutos já existentes e as 230 propostas de criação de novos institutos.

Sob a coordenação do professor Walter Colli, compuseram o referido comitê destacados cientistas brasileiros e estrangeiros, de distintas áreas do conhecimento: Alberto Barausse; Amit Bhaya ; Anibal Disalvo; Arne Ardeberg; Carlos A. Balseiro; Carlos Henrique de Brito Cruz ; Cesário Bianchi Filho; Claudio Cavasotto; Diego de Mendoza ; Francisco Fernández de Miguel; Francisco José Barrantes; Geraldo Lippel Sant'Anna Junior; João Falcão e Cunha; João Lúcio de Azevedo; John Joseph Sheehan; Jorge Daniel Riera; José Nelson Onuchic; Juan Carlos Báez; Kenneth Serbin; Klaus Jaffé; Luiz Carlos Federizzi; Márcio de Castro Silva Filho; Maria Júlia Manso Alves; Munir Salomão Skaf ; Pär Omling; Paulo de Freitas Guimarães; Pedro Albertos Pérez; Peter Turner; Raman Kashyap; Renato de Andrade Lessa ; Roberto Docampo ; Roberto Salvarezza; Thomas Maack; Ulisses de Mendonça Braga Neto e Walter Soares Leal.

Nos próximos dois meses, portanto até 11 de julho de 2016, será desenvolvida pelo MCTI, por intermédio do CNPq, negociação com as instituições parceiras (CAPES, FINEP e FAPs) para cofinanciamento das propostas recomendadas. Outros organismos, públicos ou privados, que desejarem aportar recursos também poderão participar. A partir daí, será aberto o prazo de 10 (dez) dias corridos para apresentação de eventual recurso administrativo, pelo proponente que julgar necessário contestar o resultado da Chamada.

(Fonte: Coordenação de Comunicação Social do CNPq)


Esclarecimentos da FAPEMIG

O presidente da FAPEMIG, Evaldo Vilela, participou no último dia 10 da reunião em Brasília que tratou do julgamento do edital dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCTs) do ano de 2014. Presidida pela ministra em exercício de Ciência, Tecnologia e Inovação, Emília Ribeiro, a reunião contou com a presença do presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Hernan Chaimovich e do presidente do Conselho das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), Sérgio Gargioni, entre outras autoridades. 

O Presidente do CNPq apresentou, pela primeira vez, a lista das propostas recomendadas, por mérito, sem a conclusão definitiva dos que serão financiados por ainda não existir orçamento assegurado. As Fundações de Amparo à Pesquisa (FAPs) presentes (além da FAPEMIG, também a FAPERGS e a FAPDF) enfatizaram a importância de se finalizar o processo, mas solicitaram conhecer melhor o trabalho feito pelo CNPq. Ao final das discussões, decidiu-se que seria publicado um ranking por mérito em ordem decrescente, mas sem as notas atribuídas a cada proposta, que serão repassadas, juntamente com os pareceres, às FAPs para dar conhecimento à comunidade interessada.

Assim, cada FAP decidirá quantos projetos irá apoiar, frente aos seus recursos e aos disponibilizados pelo CNPq. Além do mérito, cada FAP poderá levar em conta, para a seleção final dos aprovados, os interesses estratégicos e de políticas públicas do Estado. Por ordem de colocação, os projetos serão chamados pela FAP para a revisão dos orçamentos, tendo em conta que foram elaborados há mais de dois anos.

Foi estipulado o prazo 60 dias para cada FAP decidir o que irá apoiar, de acordo com os recursos disponíveis nas duas agências, cada uma investindo 50% do valor total da proposta. Explicações de como foi elaborado o ranking por um comitê internacional constituído pelo CNPq, com especialistas estrangeiros e brasileiros, serão dadas pelo CNPq no seu site, com a lista das proposta recomendadas.

 

Vanessa Fagundes