Livro retrata o Prouni sob a ótica dos beneficiários

Compartilhe

Foto: divulgação Editora CRVCom o objetivo de avaliar o grau de aprovação do Programa Universidade para Todos (ProUni), segundo a percepção dos alunos que cursam o Ensino Superior com bolsas do programa, as pesquisadoras Maria José Viana Marinho de Mattos e Maria Inês Martins desenvolveram, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG), pesquisa que resultou no livro PROUNI: contribuições para a discussão das políticas públicas em Educação Superior no Brasil.

O ProUni é um programa do Ministério da Educação (MEC), criado pelo Governo Federal em 2004, que oferece bolsas de estudo integrais e parciais em instituições privadas de educação superior, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, a estudantes brasileiros sem diploma de nível superior. A pesquisa foi realizada com a participação de alunos, professores, assistentes sociais e gestores da comunidade acadêmica da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - PUC-Minas, campus Poços de Caldas.

Na fase inicial, o estudo permitiu sistematizar as produções acadêmicas, artigos científicos, dissertações e teses sobre o ProUni, com destaque para o maior número de publicações em 2009, período em que os órgãos oficiais do governo federal disponibilizaram pela primeira vez um rico banco de dados com informações e estatísticas consistentes sobre o Programa.

Em uma segunda fase, utilizou-se questionários aplicados em um grupo de alunos beneficiários da bolsa ProUni e de professores, assistentes sociais e gestores. Eles se posicionaram sobre aspectos diferentes no desenvolvimento da pesquisa abordando três eixos relacionados ao programa: ProUni e as políticas públicas, ProUni e a política de inclusão social, ProUni e isenção de impostos e ProUni - percepção e impactos segundo os beneficiários.

De acordo com Maria José de Mattos, a pesquisa confirmou a percepção do ProUni como um Programa que promove acesso e permanência no Ensino Superior, eleva o padrão de vida cultural e social dos beneficiários, aumentando as possibilidades de sucesso na formação e na vida profissional dos beneficiários. “Isso significa reconhecer que o ProUni é uma referência, um marco de implementação de uma política pública de ação afirmativa, respeitada e acatada nas esferas federal, estadual e municipal, a despeito das contradições pelas quais o programa atravessa, como é o caso da renúncia fiscal, dos limites à melhoria da qualidade e da falta de acompanhamento da trajetória escolar dos estudantes”, explica a pesquisadora.

Segundo a educadora, é perceptível que o conteúdo e as discussões advindas dos trabalhos acadêmicos apresentam críticas contundentes e instigantes, importantes para o processo de avaliação do conteúdo do Programa e da continuidade desta política pública de acesso à educação superior. Entretanto, há divergências de posicionamento entre os estudiosos do assunto. É válido destacar que o livro procura ampliar o diálogo e as análises sobre uma política pública educacional com forte impacto na Educação nas últimas décadas.

Vivian Teixeira