A FAPEMIG na SBPC

Compartilhe

Foto: Diogo Brito

A FAPEMIG na SBPC

Quem passa pelo estande da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG), na SBPC, percebe a movimentação de crianças e jovens, eufóricos, correndo ao redor do estande e se movimentando sem parar. O comportamento faz parte da interação com dois projetos expostos no estande da Fundação, o projeto Librário: libras na escola e na vida e o Food Design: Um estudo para a redução da Obesidade Infantil, todos da Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG).

O primeiro faz parte do Projeto Design Digital para inclusão de deficientes auditivos e promove a aplicação de jogos pedagógicos que modificam a realidade de quem deseja aprender a Linguagem Brasileira de Sinais (Libras). O jogo consiste em um baralho de cartas com sinais em libras e palavras em português, que busca ensinar por meio de um jogo de memória. Foram criados dois tipos de baralho: um com palavras do cotidiano e outro é na área de Artes Visuais.

O segundo faz parte do Programa de Pós-graduação da Escola de Design (PPGD) da UEMG. O projeto surge ao perceber o exorbitante aumento dos índices de obesidade infantil, influenciados pela invasão de alimentos industrializados, padronizados, pobres em nutrientes e ricos em gorduras, açúcares e sódio. Através da ludicidade dos jogos, busca-se incentivar as crianças em sua relação a práticas que conduzem a uma vida mais saudável. Dependo da jogada, o participante precisa realizar algumas atividades como fazer polichinelos, pular corda ou outras atividades que incentivam a prática de atividades físicas e uma alimentação saudável. Para a bolsista do projeto, Bárbara Maria Martins da Silva, o envolvimento do público está sendo surpreendente. “Com base na participação das pessoas, estamos descobrindo desdobramentos que os jogos podem ter. O envolvimento está sendo muito bom”, avalia.

Os visitantes da feira também podem conhecer a plataforma DataViva, ferramenta de big data desenvolvida pelo Governo de Minas Gerais, juntamente com a FAPEMIG. A plataforma está em sua versão beta, completamente modificada da anterior, disponibilizando dados sobre exportações, atividades econômicas locais, ocupações e educação em todo o Brasil.

Conferências

Além dos projetos na Expotec, a Fundação participou na exposição de conferência no evento. O presidente da FAPEMIG, Evaldo Vilela, apresentou o tema Segurança Alimentar, que destacou o papel da ciência na melhoria da produção e acesso a alimentos no país. “Foi a ciência que possibilitou a redução do valor da cesta básica. Antes, dependíamos da importação de alimentos e hoje figuramos como exportadores. Foi a pesquisa que possibilitou a melhoria dos solos e de tantos outros aspectos”, afirma.

Para Evaldo Vilela, a participação da FAPEMIG na SBPC é fundamental para comunicar à sociedade o que é feito com os recursos públicos por meio do financiamento de pesquisas. “A plataforma DataViva, por exemplo, é acessada por pessoas de todo o mundo. É muito importante conhecermos e usarmos essa ferramenta para gerar mais conhecimento, pois temos muita dificuldade de acesso a dados no Brasil”, defende.

A edição Infantil da Revista Minas Faz Ciência também foi apresentada na sessão de posters da reunião. A proposta foi apresentar os desafios de se produzir uma revista voltada ao público infantil, considerando a linguagem textual e visual da publicação e as peculiaridades das crianças. A segunda edição da revista infantil já está sendo produzida e deve ficar pronta em outubro.