Inova Minas FAPEMIG reúne mais de 15 mil pessoas no Circuito Liberdade

Compartilhe



foto 1“Um final de semana diferente, que deveria acontecer mais vezes”. Com essa frase, Marcus Vinícius Pires Lopes definiu a Mostra Inova Minas FAPEMIG, que levou mais de 15 mil pessoas interessadas em conhecer a produção científica e tecnológica de Minas ao Circuito Liberdade, de 5 a 7 de agosto. Marcus passou pela praça na sexta-feira, dia 05, e conheceu o evento. Gostou tanto, que voltou nos dois dias seguintes para conhecer os projetos e participar das oficinas.

 

Acontecer na Praça da Liberdade, em cinco espaços que fazem parte do Circuito, foi o diferencial da 2ª edição da Mostra. Em um final de semana de céu azul e clima agradável, as pessoas que faziam caminhada ou estavam passeando resolviam entrar nos caminhões da ciência, conhecer os projetos ou participar de palestras e oficinas. Foi o que fez Fernando Rafael de Oliveira, que se aproximou da Mostra com a esposa e os dois filhos porque achou que se tratava de um evento infantil. “Quando vi o que era, fiquei ainda mais surpreso ao perceber que temas como conhecimento e inovação estavam sendo tratados em eventos abertos à população. Em tempos como o que vivemos, esses temas ganham uma importância ainda maior. Meu filho de seis anos, ficou encantado com a programação relacionada à robótica”, contou.

foto 2

 

Para o inventor independente Ezequiel Evaristo da Fonseca, a Mostra foi uma oportunidade de mostrar o projeto de um cinturão inflável criado para proteger motociclistas no trânsito. O projeto foi desenvolvido com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG) ao inventor independente. “Achei muito válida a participação. Quando eu apresentava a invenção para as pessoas elas sempre tinham um caso de conhecido que morreu no trânsito para contar, o que mostra a importância do produto”, avaliou. A invenção de Ezequiel foi um dos 40 projetos escolhidos para serem expostos na mostra. Além de projetos desvinculados de instituições, como o projeto de Ezequiel, universidades públicas e particulares, instituições de pesquisa e até uma escola estadual mostraram projetos que receberam algum apoio da FAPEMIG e que são úteis na vida das pessoas.

 Inova 2

Tarciana Cerdeiro César aproveitou o domingo para levar os quatro filhos ao evento. Ela mora no bairro Alípio de Melo, mas trabalha perto da praça e resolveu voltar com as crianças para aproveitar. “Gostamos de tudo, principalmente dos caminhões da ciência com conteúdo sobre biologia e robôs, que chamou muita a atenção das crianças”, aponta. Outra programação que despertou o interesse do público foram as oficinas de degustação da Epamig, que reuniram mais de 220 pessoas que conheceram um pouco mais sobre a pesquisa aplicada à produção de azeite, vinho e café. Para o pesquisador Rogério Antônio, que ministrou a oficina de café, o Brasil sempre foi reconhecido pela quantidade da produção, mas agora também quer ser reconhecido pela qualidade de seu café. “É muito importante mostrar às pessoas como a pesquisa pode melhorar o café que elas tomam todos os dias e como etapas como o plantio, a colheita, a torra e o preparo interferem no gosto do produto”, explicou.

Foto: ®Diogo Brito

Para quem aproveitou o evento para se capacitar, o Lounge do Conhecimento ofereceu palestras rápidas sobre temas diversos. Alisson Henrique Teixeira saiu de Contagem para participar da palestra Ambientes de inovação para a cultura maker e destacou a importância de conhecer iniciativas voltadas ao tema no Estado. “O mais importante é ver que existem novos projetos que buscam democratizar o acesso à inovação em Minas. A ideia do caminhão itinerante (Lab Truck) do Senai e Newton Paiva é muito interessante”, avaliou. Para Roberta Monteiro, que mora no bairro Jaraguá e participou da oficina de stencil, foi importante saber que em um único evento tanta coisa foi oferecida ao público. “Fiquei sabendo do evento pelo Facebook e passei por toda a feira. É fortalecedor perceber que tantos conhecimentos e atividades estão disponíveis de forma gratuita”, afirmou.

 

Foto: ®Diogo Brito

Depois de três dias de intenso trabalho e interação com o público, Roberto Nalon, do INCT Web, considerou a oportunidade de participar da Mostra muito produtiva. “O mais interessante é que recebemos um público muito diversificado. Tinha gente com muito conhecimento e pessoas que nunca tinham ouvido falar no projeto e que veio pela curiosidade, mas que percebeu que fazemos um trabalho que está relacionado ao dia a dia delas, como o monitoramento de informações da área de saúde, por exemplo”, contou. Para o presidente da FAPEMIG, Evaldo Vilela, essa é a essência da Mostra Inova Minas: mostrar, aos poucos, que tem ciência em tudo, desde uma xícara de café até um equipamento que permite um exame de saúde detalhado. “Levamos a Ciência para a Praça, encantamos crianças, jovens e adultos. Levamos esperança de dias melhores a muitas pessoas, com o poder da pesquisa. Mostramos que juntos, movidos pelo entendimento, podemos e devemos ousar, criando uma pauta extremamente positiva, em um momento de notícias ruins. Isso porque acreditando em nosso País, acreditamos que a FAPEMIG pode fazer diferente, apesar das adversidades que pesam sobre cada um de nós”, avaliou o presidente.

 

Frutos

 

Além das premiações relacionadas aos campeonatos de robótica, quatro projetos expostos na Mostra foram escolhidos para participar da Feira Internacional de Inovação e Tecnologia (Finit), em novembro, no Expominas. Os contemplados foram o projeto Realidade virtual para o treinamento dos músculos pélvicos, da Universidade Federal de Alfenas (Unifal); o Medidor de velocidade de vento de Baixo Custo, da Universidade Federal de Itajubá (Unifei); o Refrigerante do Bem, desenvolvido pela Epamig, e o Compensado de Borracha, feito pela JCF Soluções em Resíduos.Ltda – Ecológica. Durante três meses, os ganhadores receberão mentoria da Tropos Lab, para poder melhorar a apresentação dos projetos.