Conheça os vencedores da 8ª edição do Prêmio Mares Guia

Compartilhe

Foto: Diogo Brito

 

Reconhecer instituições e pesquisadores que contribuem para o avanço da pesquisa científica é uma forma de estimular a produção no país. É exatamente esse o objetivo do Prêmio de Pesquisa Básica Marcos Luiz dos Mares Guia, que foi criado pelo Governo do Estado e se destina a destacar instituições/empresas e pesquisadores por sua colaboração com o avanço do conhecimento da ciência em Minas Gerais. Este ano, o Prêmio será entregue no dia 03 de outubro, nas categorias de Pesquisador e Subcategoria Jovem Pesquisador. Na categoria Jovem Pesquisador, dois pesquisadores foram reconhecidos com mênção honrosa, um incentivo à continuidade de seus trabalhos científicos.

Conheça os agraciados:

 

Categoria Pesquisador

Elizabeth Pacheco Batista Fontes, da Universidade Federal de Viçosa (UFV) - com o trabalho “Novos mecanismos de imunidade antiviral e respostas adaptativas a estresses fisiológicos em plantas”.

 

Categoria Jovem Pesquisador

Matheus Puggina de Freitas, da Universidade Federal da Lavras (UFLA) - com o trabalho “Estrutura molecular e sua relação com propriedades químicas, físicas e biológicas”.

 

Menção Honrosa

José Barbosa dos Santos, da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) - com o trabalho “Impacto Ambiental do Uso de Herbicidas e Técnicas de Descontaminação Ambiental”.

Daniele da Glória de Souza, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) - com o trabalho “Estudo dos mecanismos imunes envolvidos na resposta do hospedeiro em modelos experimentais de dengue em camundongos”.

 

O Prêmio

O Prêmio Marcos Luiz dos Mares Guia destaca pesquisas das diversas áreas do conhecimento e reconhece aqueles pesquisadores que tenham se distinguido na condução de estudos e pesquisas básicas e que apresentem potencial para subsidiar, de forma significativa, o desenvolvimento de soluções para problemas da humanidade. Desde 2010, a edição passou a cumprir o revezamento entre as modalidades, conforme previsto no regulamento. A partir de então, o prêmio é concedido a pesquisadores mineiros em anos pares e a instituições/empresas em anos ímpares.

A premiação considera como pesquisa básica os estudos que buscam compreender a natureza e aumentar o conhecimento humano. Geradas a partir da identificação de necessidades da sociedade, tais pesquisas partem de problemas existentes para criar soluções tecnológicas viáveis, capazes de trazer soluções para o dia a dia das pessoas e constituindo o processo de inovação.

A comissão julgadora é formada por seis membros indicados por instituições de ciências e pesquisa do estado, sendo dois indicados pelo Conselho Curador da FAPEMIG, um pelo Conselho Estadual de Ciências e Tecnologia – CONECIT, um do Fórum das Instituições Públicas de Ensino Superior de Minas Gerais – IPES, um do CNPq e um da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais – FIEMG. Entre os indicados pela FAPEMIG, ao menos um precisa pertencer à Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, instituição onde atuou o patrono do prêmio.

Marcos Luiz dos Mares Guia foi um dos mais importantes pesquisadores da área de biotecnologia do Brasil, sendo responsável pela descoberta da insulina humana recombinante. O cientista foi um dos envolvidos na criação da primeira empresa capaz de fabricar o material no país, dando um importante passo para a geração de inovação no estado. Escolhido como patrono do prêmio, Mares Guia foi professor do Departamento de Bioquímica e Imunologia do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG e é considerado um dos maiores colaboradores da ciência brasileira.