Lixo eletrônico se transforma em paineis solares

Compartilhe

Os computadores antigos que se transformam em toneladas de lixo eletrônico ganharam uma nova destinação. O Projeto Própolis - Polímeros para a Inclusão Social, através de uma ação interdisciplinar, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG) e Cemig, destina o material plástico de resíduos eletroeletrônicos para serem utilizados no processo produtivo de aquecedores solares em Empreendimentos Sociais. Com esse objetivo, instituições do setor público, privado e do terceiro setor se uniram para baratear o custo de desenvolvimento dos paineis solares de forma sustentável e promover a inclusão social.

O Laboratório de Polímeros da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) foi o responsável por pesquisar se o plástico dos aparelhos eletroeletrônicos podia ser utilizado para a produção dos coletores ou se era necessária a mistura de outros aditivos. Os resultados apontaram ser possível desenvolver coletores a partir destes polímeros, reduzindo consideravelmente os custos, ampliando o acesso a este tipo de energia a outras camadas da sociedade.

A equipe dos Centros Universitários UNA e UNI BH foram responsáveis por produzir o protótipo do coletor solar, que já foi desenvolvido e agora está aguardando a fábrica ficar pronta. O reaproveitamento do plástico foi o ponto de partida para o desenvolvimento do projeto, pois é um produto menos visado economicamente e gera mais volume. Sendo assim, o Comitê para a Democratização da Informática (CDI), uma organização que usa a tecnologia para transformação social, está capacitando catadores de lixo, jovens e outras pessoas interessadas em separar os materiais.

Atualmente, está na fase de construção e administração da fábrica sustentável para iniciar a produção comercial dos painéis feitos de polímeros. Essa etapa será realizada e administrada pela Instituição Social Ramacrisna, localizada em Betim. Para isso foi iniciada uma campanha de Crowdfunding no site Kickante para arrecadar doações.

Assista o vídeo sobre o projeto: