Pesquisa da Unimontes avalia uso de substância no tratamento do câncer de boca

Compartilhe

 

Foto: Andrea FróesPesquisadores da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) avaliam o potencial terapêutico da metformina - o antidiabético mais usado no Brasil – para o tratamento do câncer de boca. A pesquisa O efeito da Metformina em células de câncer de boca sob hipóxia, realizada com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG), é relevante na busca terapêutica da identificação de mais um medicamento para o combate ao câncer.

No caso do tratamento do câncer de boca, está sendo testado o potencial da substância para diminuir a condição de hipóxia (baixo teor de oxigênio) das células dos tumores, representando uma situação onde a radioterapia tem um efeito limitado. Segundo o professor e pesquisador, André Luiz Sena Guimarães, da Unimontes, através de uma série de experimentos in vitro, a metformina mostrou que induz a morte celular programada (apoptose). Ainda em fase pré-clínica, o próximo passo é o estudos em animais e, em seguida, em seres humanos. 

O pesquisator ressalta que este é um estudo baseado em segundo uso do medicamento. Caso confirmado, através do ensaio clínico, o custo para o Sistema Único de Saúde (SUS) será baixo, pois a metformina já é fornecida. Os dados encontrados são baseados na tese de doutorado de Talita Antunes Guimarães, do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, da Unimontes, e resultaram em artigo na revista científica americana Oncotarget, um importante e renomado periódico na área de desenvolvimento de medicamentos para câncer do mundo.