Livro aborda história da formação docente na UFMG

Compartilhe



Pensar

 

O mais recente título da coleção do projeto Pensar a Educação, Pensar o Brasil investiga a formação de professores de educação básica na UFMG ao longo dos anos. Formação docente na UFMG: história e memória, lançado no ano passado, parte da “inquietação acadêmica sobre as graves questões existentes no campo da educação básica brasileira”, segundo os organizadores.

Os artigos abordam a criação da Faculdade de Educação, a Reforma Universitária de 1968 e a memória das licenciaturas por meio de matérias e notas publicadas no Boletim UFMG. Ao todo, o livro reúne oito trabalhos de autoria de pesquisadores da Universidade. A apresentação da obra é assinada pela professora emérita da UFMG Eliane Marta Teixeira Lopes.

O professor da FaE Luciano Mendes de Faria Filho, responsável pela organização do livro juntamente com João Valdir Alves de Souza e Nelma Marçal Lacerda Fonseca, conta que “a obra busca trabalhar com o patrimônio científico e acadêmico da Faculdade de Educação como modo de investigar a história da UFMG de maneira mais ampla”.

Formação docente na UFMG é resultado de projeto desenvolvido no âmbito do Centro de Pesquisa, Memória e Documentação da Faculdade de Educação (Cedoc) e financiado pela Fapemig e pela Capes. Trata-se do segundo livro originado no Cedoc. O primeiro, intitulado Universidade, memória e patrimônio e organizado pelos professores Andrea Moreno e Adalson Nascimento, trata da preservação da memória da UFMG e do Cefet em arquivos, bibliotecas, centros de memória e museus.

Os dois títulos integram a coleção de livros do projeto Pensar a Educação, Pensar o Brasil, que combina ações de pesquisa, ensino e extensão com o objetivo de promover reflexões sobre a educação pública no país. A coleção, organizada em cinco séries temáticas, é resultado de parceria com a Mazza Edições.

O livro está à venda por R$ 25 na secretaria do Pensar a Educação, Pensar o Brasil, instalada na sala 1610 da FaE, campus Pampulha. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail pensar@ufmg.br