FAPEMIG realiza III Encontro Anual das Câmaras de Assessoramento

Compartilhe



 

Quando um pesquisador envia uma proposta e solicita financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG), ele desconhece o criterioso processo de seleção envolvido. Esse trâmite conta com a ação direta dos membros das Câmaras de Assessoramento, que se reuniram na FAPEMIG hoje, 08 de março, durante o III Encontro Anual das Câmaras de Assessoramento. O objetivo do encontro foi apresentar um pouco mais sobre o trabalho que as Câmaras desenvolvem e do papel de analisar, julgar e recomendar os pleitos apresentados.

O Diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da FAPEMIG, Paulo Beirão, falou sobre o trabalho fundamental desenvolvido pelos membros de Câmara, listou alguns processos que foram modificados ao longo dos anos e chamou a atenção para o que deve ser considerado durante o trabalho. “É atribuição dos membros de Câmaras julgar os projetos e avaliar os relatórios de pesquisa, mas espera-se que eles também apontem desafios e oportunidades relacionadas ao material avaliado e contribuam com críticas e sugestões para aperfeiçoar o trabalho”, afirma.

Para esclarecer acerca da gestão financeira, o Diretor de Planejamento, Gestão e Finanças da Fundação, Alexsander Rocha, apresentou o resultado orçamentário de 2016 e a prospecção para 2017. O diretor explicou que o cenário de crise também atingiu a FAPEMIG e, em função disso, o orçamento previsto para este ano sofreu redução de 30% e deve ficar em torno de R$289 milhões.

Ter uma visão mais ampliada do papel das Câmaras e uma fala em defesa da Ciência são duas questões importantes para os membros de Câmara, na opinião do Presidente da FAPEMIG, Evaldo Vilela. Para ele, os pesquisadores estão silenciosos em relação aos temas científicos e tecnológicos, o que abre caminho para que conteúdos sem referência tenham muito acesso, principalmente em tempos de mídias sociais. “O cientista precisa se fazer entender pela sociedade, só assim a pesquisa será valorizada. Enquanto falarmos apenas para os pares, nossa atuação será tímida. Quando tiverem avaliando um projeto, lembrem-se de que eles devem estar relacionados ao que vamos fazer no futuro, sobre perspectivas; é diferente de avaliar uma tese”, aponta.

Também foi apresentada aos membros de Câmara, em primeira mão, a proposta de Política de Periódicos do Estado e o Portal de Periódicos. O projeto, financiado pela FAPEMIG, é coordenado por Sérgio Cirino, da UFMG, e é uma iniciativa pioneira, já que Minas será o primeiro Estado a fazer esse mapeamento. Em breve, o portal estará disponível a todos.

Na ocasião, também foram apresentados alguns pontos sobre o funcionamento do Everest e as mudanças feitas no Manual da FAPEMIG. Os presentes puderam tirar dúvidas sobre procedimentos e atividades específicas.