Mapa dos periódicos em Minas Gerais

Compartilhe


Os pesquisadores das mais diferentes áreas desenvolvem seus estudos e os tornam público por meio dos periódicos nacionais e internacionais, de diferentes classificações. Até abril de 2017, 310 publicações foram registradas no Estado pelo estudo Periódicos de Minas Gerais. Financiando pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG), o projeto tem mapeado e identificado as revistas científicas, sob coordenação do professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Sérgio Cirino. A partir disso, foram criadas diferentes proposições para aumentar a visibilidade, capacitar os profissionais, divulgar os conteúdos e qualificar os periódicos, possibilitando que a iniciativa seja referência e propicie uma nova política para abranger todo o Estado.

Segundo a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), os periódicos são uma publicação em qualquer tipo de suporte, editada em unidades físicas sucessivas, com designações numéricas ou cronológicas e destinada a ser continuada indefinidamente. Eles também são a fonte de informação mais importante para pesquisadores e tem grande relevância para a comunicação científica. No entanto, com o grande volume, como entender as demandas em cada área, propiciar ambiente para aumento da qualidade, investir em áreas prioritárias e conhecer os que existem? Para contribuir com isso, um portal está sendo denvolvido pelo Projeto para reunir um diretório de todas as revistas científicas mineiras, inscrição para cursos e eventos, notícias, vídeos, buscando sempre o acesso livre e a circulação do conhecimento. Os bons resultados do Portal Periódicos UFMG são referência para a criação do novo site.

Dados preliminares

A partir do projeto foram observadas equipes editoriais, periodicidade, indexadores, Qualis, área, foco/escopo, mesorregiões, entre outros. Notou-se que a área de Ciências Humanas é a que mais tem periódicos em Minas Gerais (23,38%), sendo que a de Ciências Biológicas possui o menor número (4,52%).

Foto: Divulgação

Em relação à distribuição geográfica, a Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) concentra 47,7% (148) de revistas científicas, seguida do Triângulo Mineiro com 17,1% (53) e da Zona da Mata 14,5% (45) enquanto o Noroeste de Minas não tem nenhum. No entanto, ao cruzar as informações, notou-se que a quantidade de periódicos por milhões de habitantes deixa o Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba na frente da RMBH. Outro dado relevante é a questão de gênero nas editorias. Cerca de 61% dos editores são homens enquanto 39% mulheres.

 

Foto: Divulgação

Diante dos dados do estudo, foi proposta uma nova política de periódicos para Minas Gerais, com o objetivo de reunir todas as revistas científicas em um só espaço, através de um portal de periódicos. “Com base na experiência alcançada pela UFMG, será possível usar como referência a incubadora de periódicos para auxiliar na qualificação das revistas científicas. A ideia é melhorar a qualidade para concorrer e dar visibilidade à produção mineira, contribuindo para a circulação do conhecimento”, afirma Sérgio Dias Cirino.

 

 

 

 

Roberta Nunes