Minas Gerais terá Centro de Inteligência Artificial em Saúde

Assessoria de Comunicação SEDE MG - 07-05-2021
419


Foto: Neila Rocha (SEAPC/MCTI)Foto: Neila Rocha (SEAPC/MCTI)


Fruto de uma ação entre governos Federal e de Minas Gerais, setor privado e academia, o projeto Centro de Inteligência Artificial em Saúde coloca mais uma vez o estado de Minas Gerais em destaque internacional. Encabeçado pela Vice-Governadoria de Minas Gerais, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig) e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o Centro é um dos seis contemplados no programa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), que investem em pesquisas aplicadas em Inteligência Artificial.

Ao todo, R$ 15 milhões serão aplicados no projeto, sendo R$ 5 milhões do Governo Federal e R$ 10 milhões da iniciativa privada em conjunto com o Governo do Estado, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig). Este valor será destinado às áreas de saúde e ciências exatas da UFMG, que estão associadas a nove instituições de ensino superior nas regiões Sudeste, Norte e Sul do Brasil.

Pesquisa e inovação
Comandada pelos pesquisadores, Virgílio Almeida e Wagner Meira, professores titulares do Departamento de Ciência da Computação da UFMG, e Tom Ribeiro, do Departamento de Clínica Médica da UFMG, a equipe composta por 130 pesquisadores das áreas de medicina e tecnologia vai estudar e desenvolver técnicas e soluções de inteligência artificial no diagnóstico e tratamento de doenças; prognóstico e rastreamento, prevenção e qualidade de vida; medicina terapêutica e personalizada; sistemas de saúde e gestão; além de epidemias e desastres.

Para o subsecretário de Ciência, Tecnologia e Inovação da Sede, Juliano Alves Pinto, um dos articuladores do projeto com o Governo de Minas, a iniciativa representa o futuro, com impacto num segmento muito forte, a saúde. “O Centro de Inteligência Artificial em Saúde é de uma referência sem precedentes, que junta Estado, a UFMG, uma instituição de prestígio, considerada a melhor do Brasil, com o setor privado que é fortíssimo, sobretudo na Região Metropolitana de Belo Horizonte”, afirma.

De acordo com o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais, Paulo Sérgio Beirão, o Centro reúne o que se acredita ser a aposta correta para o desenvolvimento sustentável do Estado: academia, indústria e governo trabalhando juntos em tema que trará benefícios diretos para a população, especialmente nessa área tão importante que é a Saúde.

“A Fapemig teve papel importante nessa conquista, sendo responsável por iniciar as negociações e por apoiar a elaboração do projeto. Nossas expectativas são muito grandes pelo potencial inovador que a aplicação das tecnologias de Inteligência Artificial pode trazer a todos os setores envolvidos na Saúde. Os trabalhos que serão ali desenvolvidos ao longo dos próximos cinco anos certamente trarão avanços significativos para a área, em benefício da população”, garante Beirão.