FAPEMIG participa de reunião na ALMG sobre ferrovias

Júlia Pinheiro - 11-03-2022
920

Desenvolver, fomentar e promover o conhecimento, além de utilizá-lo para gerar desenvolvimento econômico e social em Minas Gerais. Esses são objetivos almejados pela FAPEMIG, que tem levado a fóruns diversos sua contribuição e expertise baseadas na ciência, tecnologia e inovação. Um desses fóruns é a Comissão Extraordinária Pró-Ferrovias Mineiras, da Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais (ALMG).

Ontem (10), a FAPEMIG participou por videoconferência de mais uma reunião dessa Comissão, que tratou do Plano Estratégico Ferroviário (PEF), portfólio de projetos priorizados para melhorar a estrutura do setor ferroviário do Estado. A pauta foi discutir sobre a interface entre a localização dos portos secos, a infraestrutura logística, notadamente a infraestrutura ferroviária, e o desenvolvimento regional de Minas Gerais, com base na pesquisa acadêmica realizada pelo professor Rodrigo Affonso de Albuquerque Nóbrega e outros pesquisadores do Instituto de Geociências da UFMG, da Escola de Engenharia da UFMG e da Faculdade de Engenharia Agrícola da Unicamp.

A FAPEMIG foi convidada a participar da Comissão pelo seu presidente, o deputado estadual João Leite, e participa dos encontros articulando novas estratégias, interessada em conhecer e debater novos projetos. Janaína Soares França, assessora da Diretoria de Ciência, Tecnologia e Inovação (DCTI) e representante da Fundação na Comissão, reforçou que “estamos inseridos nesse contexto porque é o nosso papel apoiar parcerias de desenvolvimento econômico e social para Minas Gerais, além de mediarmos os diálogos entre as partes envolvidas. É importante participar desse diálogo, estar presente nestas discussões e fazer ligações entre pesquisadores e empresas”.

Lucas Mendes de Faria Rosa Soares, assessor de gabinete da FAPEMIG, comentou sobre a relevância da participação da Fundação nas reuniões da Comissão. “O objetivo da Comissão é discutir a importância do sistema ferroviário mineiro. Nós, como convidados, somos ouvintes, pois a Comissão tem convocado muitas empresas da área de desenvolvimento científico e tecnológico, de pesquisa e de desenvolvimento, com trabalhos na área de tecnologia ferroviária. Para além disso, a Comissão também convida muitos acadêmicos e pesquisadores vinculados às ICTs mineiras e, para a FAPEMIG, é muito interessante saber o que o Estado tem gerado em matéria de pesquisa na área. Notamos que Minas Gerais tem apoiado iniciativas desse tipo”.

Parceria estratégica
Um dos frutos dessa iniciativa, que chegou à FAPEMIG por meio do seu Programa de Apoio a Demandas Estratégicas é o Núcleo de Desenvolvimento Tecnológico Ferroviário (NDF). O Programa da FAPEMIG visa gerar soluções tecnológicas em diversas áreas de interesse do Estado, financiando projetos de ciência, tecnologia e inovação. O incentivo considera a implementação de estratégias para o alcance de metas e resultados e, neste caso, possibilitou a participação no NDF, a ser instalado na Universidade Federal de Viçosa (UFV). O NDF foi composto a partir do convênio estabelecido entre FAPEMIG, UFV, Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra), Universidade Federal de São João Del-Rei (UFSJ) e Instituto Federal de Educação de Minas Gerais (IFMG). Leia a reportagem aqui.


Ganhos para o Estado
Para além da participação na Comissão Extraordinária Pró-Ferrovias Mineiras, a FAPEMIG já financiou projetos de pesquisa na temática ferrovias. Dentre eles, o projeto “Aproveitamento de Fibras de Vidro na Produção de Compósitos Usados pela Construção Civil”, coordenado pela professora Zélia Maria da Costa Ludwig, da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Esse projeto gerou a patente COMPOSIÇÃO PARA FABRICAÇÃO DE DORMENTES DE CONCRETO REFORÇADO COM FIBRAS, registrada no sistema do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) e cadastrada na Vitrine Tecnológica do Estado de Minas Gerais, disponível aqui.