PROCESSO DE PRODUÇÃO DE MATERIAL ADSORVENTE

IDENTIFICADOR: 302 | DATA: 23-03-2021
2840

SETOR ECONÔMICO:

Agronegócio


PROBLEMA QUE SOLUCIONA:

A disposição dos rejeitos de mineração em barragens pode causar desastres ambientais de grandes proporções. Outro problema atual é a liberação de grandes quantidades de fosfato, devido a atividades antrópicas, em leitos de rios e mares, que pode levar ao descontrole da flora e fauna da região atingida. A tecnologia desenvolvida abre portas para solução desses dois problemas.


SOLUÇÃO APRESENTADA:

A tecnologia propõe a modificação e aplicação do rejeito de mineração rico em ferro, especificamente a lama gerada no processo de beneficiamento de minério de ferro de pellet feed, para uso como adsorvente de fosfato de águas residuais. O rejeito de mineração é impregnado por via úmida com sais de cálcio, magnésio e zinco e tratados termicamente a temperaturas que variam de 300 – 900 °C. Isso causa alterações superficiais no rejeito rico em ferro, formando compostos que têm capacidade de adsorção de fosfato presente em água.


PRINCIPAIS VANTAGENS E BENEFÍCIOS:

A possibilidade de utilização do rejeito de mineração e o tratamento de águas residuais e corpos hídricos por processo de adsorção para remoção do fosfato traz benefícios sociais e ambientais. Os materiais produzidos a partir do rejeito são capazes de adsorver cerca de 40 mg/g de fosfato do meio aquoso, valores compatíveis e muitas vezes superiores aos materiais descritos na literatura, com a vantagem do reaproveitamento de um rejeito.   Portanto um novo destino para o rejeito ajuda a diminuir os impactos ambientais e sociais causados, assim como a diminuição da quantidade de fosfato em corpos hídricos.


POTENCIAIS APLICAÇÕES

A tecnologia pode ser aplicada na remoção de fosfato de meios aquosos, levando à diminuição da concentração desse íon em meios aquosos e recuperação do íon. Outra aplicação é que o material após aplicado em meio com fosfato pode ser disposto em culturas agrícolas, aplicado como condicionador de solo, sendo utilizado com fonte nutricional para plantas uma vez que o fosfato é uma das principais fontes de nutrientes para as plantas.


ESTÁGIO DE DESENVOLVIMENTO:

A tecnologia se encontra em fase laboratorial. Assim novos estudos precisam ser realizados, para analisar as condições ótimas de aplicação da tecnologia e de análise de viabilidade técnica e econômica para escalonamento.


TITULARES:

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA - UFV


NÚMERO DO PROCESSO DO INPI:

BR 10 2021 003638 9


INFORMAÇÕES PARA CONTATO:

cppi.interacao@ufv.br


LINKS ÚTEIS:

Acesse o pedido de patente de invenção na íntegra aqui.