Luciano Pereira é convidado pela FAPEMIG para o Papo de Inovação

Júlia Rodrigues - 21-06-2024
293

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG) recebeu o pesquisador, professor e ex pró-reitor de pesquisa (2021-2024) da Universidade Federal de Lavras (Ufla), Luciano José Pereira. O convidado apresentou-se durante a sétima edição do Papo de Inovação - projeto que busca ouvir pesquisadores/inovadores para falar de sua história e sobre como a FAPEMIG ajudou ou atrapalhou sua caminhada profissional. 


O encontro aconteceu na sala do Conselho Curador com a presença das chefias da FAPEMIG (2024) Créditos: Carla Radicchi/ACS 

Luciano Pereira é graduado em Odontologia e fez seu mestrado e doutorado na área de Fisiologia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). É professor associado na Ulfa onde atuou na pró-reitoria de pesquisa e ocupou outros cargos de gestão como a coordenação do Biotério Central da Ufla e a coordenação do Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da Universidade. Atualmente, é membro do Conselho de Curadores (2024-2028) e da Câmara de Ciências da Saúde (2024-2026) da FAPEMIG. 

Luciano está entre os cinco pesquisadores mais citados na UFLA, segundo o AD Scientific Index - Latin America World Scientists Rankings (2024) também foi considerado um dos pesquisadores mais influentes do mundo em 2022, pela Universidade de Stanford (EUA)

Durante a sua apresentação, o pesquisador contou sua trajetória como docente e seus quase 22 anos de pesquisa em fisiologia geral e oral, mastigação, relação nutrição/metabolismo e inflamação e modelos de doença periodontal. Em sua fala, reforçou a importância de investimentos em pesquisa em áreas básicas, apoio para iniciativas de cooperação internacional e a desburocratização no processo de aquisição de insumos e equipamentos para pesquisas. 

Visão Multiperspectiva 

Luciano aproveitou sua experiência como pesquisador e, agora como membro da Câmara de Ciências da Saúde da FAPEMIG, para apontar melhorias referentes ao processo de avaliação e seleção dos projetos de pesquisa. “É muito interessante essa participação como membro de câmara, quando seu olhar inverte, mas nem todo mundo tem essa oportunidade”, compartilha.  

O pesquisador reforçou a importância de iniciativas de financiamento para participação individual em eventos científicos, especialmente, o custeamento de taxas de publicações. “O PPM era fantástico! Porque você direcionava para esse tipo de ação [...] é um edital que não apareceu mais e não temos espaço para ele”, relembrou. 

Apontou, ainda, para importância de um mapeamento de pesquisadores promissores. “Nós temos, às vezes, excelentes pesquisadores que estão isolados em universidades e que estão em áreas que não despontam”. Para ele, esse tipo de mapeamento é uma questão estratégica. “Eu já fui esse cara, há algum tempo, e a gente fica muito frustrado”. Para ele a promoção de iniciativas que apoiem primeiros projetos pode ser definidora.