Chamada de R$25 milhões é voltada para pesquisas de inovação relacionadas à agropecuária mineira

Assessorias de Comunicação Sede MG e FAPEMIG - 09-07-2024
601


A chamada Alysson Paolinelli foi lançada durante solenidade de regulamentação da Lei que institui a Medalha de mesmo nome, em homenagem ao ex-ministro mineiro defensor da inovação no setor

Inovação e tecnologia em todos os setores econômicos do estado. Com esse objetivo, o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede-MG), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) e da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), lançou o edital Alysson Paolinelli, em cerimônia de regulamentação da Lei que institui a Medalha de mesmo nome, em homenagem ao ex-ministro mineiro defensor da inovação no setor. O evento aconteceu na Cidade Administrativa, nesta terça-feira (09/07).

O objetivo da Chamada Fapemig/Sede nº 11/2024, que disponibiliza até R$25 milhões, é estimular o desenvolvimento econômico em Minas Gerais através do apoio a projetos de pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação (PD&I) nas áreas agropecuárias, promovendo aumento de produtividade, eficiência e sustentabilidade. Podem participar do edital pesquisadores vinculados às Instituições Científicas, Tecnológicas e de Inovação do Estado de Minas Gerais (ICTMG).

A chamada incentiva a parceria com empresas e cooperativas e disponibiliza valores de financiamento maiores para projetos com essa característica. As categorias de financiamento variam de R$ 500 mil  a R$ 3 milhões por projeto aprovado. O prazo para envio das propostas é 5 de agosto.

“Queremos tornar Minas o melhor lugar para inovar e, com isso, atrair mais empregos e recursos para dentro do estado. Investir no agronegócio é um caminho promissor, visto que esse setor aqui no nosso estado é forte em culturas como café, leite, cachaça e outros. Esse edital visa justamente impulsionar a inovação e a tecnologia em pesquisas e produtos para fazer Minas Gerais se destacar no setor agropecuário brasileiro”, afirma o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio.

De acordo com o presidente da Fapemig, Carlos Arruda, a expectativa, com essa chamada, é incentivar a aplicação da cultura de pesquisa e desenvolvimento nos setores agrícolas, por meio de projetos de CT&I. “Minas Gerais se destaca pela produção de conhecimento e pela inovação aplicada à atividade agrícola. A proposta da Fapemig é fortalecer ainda mais essa cadeia, o que se reverte em empregos, produtividade e desenvolvimento para toda a população”, diz. 


Foto: Gil Leonardi / Imprensa MG


Medalha Alysson Paolinelli
O evento em que o edital foi lançado celebrou a regulamentação da Lei nº 24.582/2023, que institui a Medalha Alysson Paolinelli — a ser concedida a pessoas e instituições por relevantes serviços prestados à agropecuária, ao setor produtivo e ao desenvolvimento sustentável — de mesmo nome da chamada de financiamento, em homenagem ao ex-ministro mineiro defensor da inovação no setor da agropecuária. O objetivo é reconhecer e homenagear pessoas que tiveram atuações relevantes em favor do setor do agronegócio.

A Medalha Ministro Alysson Paolinelli será concedida em diversas categorias, abrangendo desde Pequeno Produtor, Médio Produtor e Grande Produtor até Universidades, Empresas de Pesquisa e Inovação Públicas e Privadas, Jornalismo e Comunicação Agro, Entidades, associações, cooperativas e empreendimentos Agropecuários, Pesquisadores e Profissionais das diversas ciências que impactam positivamente na agropecuária, até pessoas públicas e/ou de governo, empresas agropecuárias e agroindústrias, e jovens produtores.

Alysson Paolinelli
Alysson Paolinelli foi um engenheiro agrônomo, ministro e secretário estadual de Agricultura que incentivou a pesquisa, a ciência e a tecnologia. Nascido em Bambuí (MG), o mineiro é reconhecido como o "pai da agricultura moderna" e "pai do cerrado".

Paolinelli foi responsável pela criação da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) e por melhorias na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), durante sua gestão como ministro da Agricultura, na década de 70. Sua contribuição, fundamental na expansão do cerrado brasileiro e na consolidação do Brasil como grande exportador de alimentos, lhe rendeu reconhecimento internacional. 


(Com informações da Assessoria de Comunicação SEDE MG)